Blog FastFut

Categoria : Business

Real Madrid terá novo escudo nos países árabes
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

O escudo do Real Madrid, um dos mais tradicionais e famosos do mundo do futebol, será alterado para remover a tradicional cruz cristã para a venda de materiais esportivos e produtos oficiais do clube em alguns países do Oriente Médio, como parte de um acordo regional.

A Marka, empresa dos Emirados Árabes Unidos que detém os direitos para “produzir, distribuir e vender os produtos do Real Madrid” nos países do Golfo Árabe, anunciou nessa terça-feira, que o símbolo do clube espanhol será alterado nos artigos (incluindo as camisas oficiais), que vai produzir e comercializar nos Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Catar, Kuwait, Bahrein e Omã.

Sem cruz: símbolo será alterado nos países árabes

Sem cruz: símbolo será alterado nos países árabes

Em entrevista a uma agência internacional de notícias, o vice-presidente da Marka, Khaled al-Mheiri afirmou que a mudança é discreta e visa atender às sensibilidades culturais.

“Temos que entender que partes do Golfo Árabe são sensíveis a produtos com a imagem da cruz,” explicou Al-Mheiri,  que também é proprietário de um café chamado ‘Real Madrid’, em Dubai.

Nos 6 países em que a Marka venderá produtos do Real Madrid a maioria da população é muçulmana.

Esta não é a primeira vez que o clube espanhol altera o seu símbolo nos países árabes: em 2014, o Real Madrid já tinha alterado seu escudo (retirando o símbolo cristão) numa campanha publicitária do National Bank of Abu Dhabi, um dos patrocinadores do clube.

Tags : Real Madrid


Grupo de mídia do Qatar assume a maior operadora de TV a cabo da Turquia
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

A beIN Media Group anunciou nessa sexta-feira, que concluiu a aquisição da Digiturk, a principal operadora de TV por assinatura na Turquia, com aproximadamente 3,3 milhões de assinantes, com 219 canais incluindo esportes e entretenimento.

A programação esportiva da Digiturk compreende os direitos de transmissão da Spor Toto Super League (local), La Liga (Espanha), Ligue 1 (França), Serie A (Brasil) e Liga dos Campeões da UEFA.

Qataris avançam e compram maior canal a cabo da Turquia

Al-Khelaïfi: expansão global

“Esta aquisição representa o maior negócio da história do nosso grupo e um marco na nossa expansão global”, afirmou Nasser Al-Khelaifi, CEO da beIN Media Group e da Qatar Sports Investments (QSI), mais conhecido por ser presidente do Paris Saint-Germain.

“Além disso, ela reforça nosso compromisso em fornecer a mais alta qualidade de experiência de transmissão em elevado potencial de crescimento e mercados maduros.”

Segundo ele, a proximidade com os principais mercados na Europa e Ásia, faz da expansão na Turquia um próximo passo essencial para grupo: “A aquisição nos posiciona como líder num mercado em rápido crescimento, que oferece enormes oportunidades de negócios, principalmente na área digital, nos próximos anos,” afirmou.

Com sede em Doha, no Qatar, a beIN Media Group (ex-Al Jazeera Sports) está presente em 36 países na América do Norte, MENA (‘Middle-East and North Africa’), Europa e Ásia através de 38 canais.

 

 

 


As camisas mais vendidas na MLS
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Passados 4 meses e meio desde o início da temporada 2016 da Major League Soccer, os resultados dentro de campo têm surpreendido muita gente: na Conferência Leste, o New York City FC lidera com um ponto de vantagem sobre o Philadelphia Union, dois times que sequer se classificaram para os playoffs na temporada passada.

Kaká caiu para 4: italiano assumiu

Kaká deixou o top5: italiano assumiu a liderança

No Oeste, FC Dallas repete o feito de 2015 e lidera a Conferência, mas em 2º vem o Colorado Rapids, que terminou em último na temporada passada.

Estamos só na metade do campeonato e muita coisa pode muda, mas o reflexo da posição dos times na tabela na popularidade dos jogadores fora de campo é evidenciada no mercado material esportivo, sobretudo na venda de camisas oficiais.

As camisas de Andrea Pirlo, David Villa e Frank Lampard, do NY City FC estão entre as 10 mais vendidas, ocupando inclusive o topo da lista (Pirlo) e o 3º lugar (Villa). Frank Lampard é o 9º.

Este é o segundo ano consecutivo em que os 3 jogadores designados do time ficam entre os top 10 de vendas: em 2015, os 3 veteranos ficaram em 4º, 5º e 7º lugares.

O NY City, que está apenas em sua 2ª temporada na MLS é o time com mais representantes entre as 10 camisas mais vendidas.

Na lista dos Top 20, há alguns nomes tradicionais, mas uma nova seleção de ídolos já aparece dominando as vendas: e aí, é o Seattle Sounders quem aparece com mais jogadores (4).

Gerrard: entre os 5

Gerrard: entre os 5

Confira os Top 20:

  1. Andrea Pirlo, New York City FC
  2.  Clint Dempsey, Seattle Sounders
  3.  David Villa, NY City FC
  4.  Jordan Morris , Seattle
  5. Steven Gerrard, LA Galaxy
  6. Kaká, Orlando City
  7. Didier Drogba, Montreal Impact
  8. Sebastian Giovinco, Toronto FC
  9. Frank Lampard, NY City FC
  10. Dom Dwyer, Sporting Kansas City
  11. Darlington Nagbe, Portland Timbers
  12. Diego Valeri, Portland
  13. Giovani dos Santos, LA Galaxy
  14. Robbie Keane, LA Galaxy
  15. Graham Zusi, Sporting KC
  16. Nat Borchers, Portland
  17. Brad Evans, Seattle
  18. Osvaldo Alonso, Seattle
  19. Brek Shea, Orlando
  20. Kei Kamara, New England Revolution

Que tal jantar (quase) no gramado do Camp Nou?
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Futebol parado na Europa, mas os clubes dão um jeitinho de movimentar e manter o público visitando seus estádios: nesse mês de julho, o Barcelona abre as arquibancadas do Camp Nou para um novo restaurante, onde o público poderá almoçar, jantar, ou tomar umas e outras bem ao lado do gramado, um dos mais famosos do planeta e um dos lugares mais procurados por turistas que visitam Barcelona.

Camp Nou: noites de verão na Catalunha...

Camp Nou: noites de verão na Catalunha…

Aberto ao público em geral, o restaurante ‘The Balcony’, que só vai funcionar no mês de julho, quando não há jogos no estádio, fica no segundo nível da arquibancada e é acessado através da rampa localizada próxima ao Portão 19 do Camp Nou e conta com estacionamento..

Além de dois pratos fixos no almoço, o menu oferece pratos tradicionais da cozinha catalã. O lugar oferece um menu criativo de primeira classe cuisine tanto de dia como à noite: segundas, terças, quartas-feiras e domingos está aberto 10h e-19h30, mas às quintas, sextas e sábados funciona até 1h da manhã.

Para quem não for jantar, uma opção são as porções: tapas + uma cerveja (Estrela Damm) por € 27. Os bolinhos à base de arroz + cerveja: € 35.

Reservas podem ser feitas pelo site ao visitar o link reservas ou +34 628 262 758

 


As mudanças para a Premier League 2016/17
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Mal acabou a temporada da Premier League e já estamos ansiosos para começar tudo de novo. Muita coisa, porém ainda vai acontecer até agosto: novos jogadores vão chegar outros trocarão de times.

Mas algumas mudanças já estão garantidas para 2016/17.

Banco: mais gente à disposição do professor

Banco: mais gente à disposição do professor

Bancos maiores
No próximo mês, os clubes da Premier League devem decidir sobre a proposta defendida por Manchester United e Chelsea, que querem aumentar o número de substitutos permitidos no banco em dias de jogos, de 7 para 9 jogadores.

O número de alterações durante a partida não mudaria, com cada time só podendo utilizar 3 suplentes, mas cada treinador passaria a contar com 9 jogadores no banco.

Em 2008, a Premier League aumentou o número de jogadores no banco de 5 para 7.

As propostas serão discutidas no Encontro Anual (AGM, da sigla em inglês) da Premier League em junho, com a participação dos principais acionistas de todos os clubes, incluindo de Burnley, Middlesbrough e ou Hull City ou Sheffield Wednesday, que ainda decidem a última vaga do acesso.

TV na sexta-feira: mais um jogo ao vivo

TV na sexta-feira: mais um jogo ao vivo

Mais TV
Outra novidade na temporada 2016/17 é a realização de um jogo (com transmissão ao vivo) na sexta-feira à noite. A Sky Sports vai transmitir 10 partidas durante a temporada.

Outras mudanças vão ocorrer por conta do fim do contrato com o banco Barclays, que como patrocinador principal,  tinha o direito de dar o nome à liga.

a Premier League terá novos patrocinador (alguns contratos, como a Tag Heuer já foram anunciados), mas nenhum terá o ‘direito de nome’: a primeira divisão do futebol na Inglaterra será conhecida simplesmente como ‘The Premier League’.

Além disso, a Premier League terá um novo logotipo, que será usado nas mangas de todos os jogadores: nele, o icônico leão icônico – símbolo que representa a competição desde seu lançamento em 1992 – aparece numa visão mais moderna.

A marca vai aparecer também na bola, que continua sendo Nike, que deve lançar o novo modelo Premier League 2016-17  para o final deste verão.

Marca limpa
O novo nova estratégia de patrocínios da Liga, sem um patrocinador principal, foi aprovado pelos clubes da Premier League em julho do ano passado, para favorecer a negociação das transmissões globais: a marca única era um entrava para a comercialização com bancos chineses, por exemplo.

O velho e o novo: negócios globais

O velho e o novo: negócios globais

O movimento reflete o desejo da organização de se espelhar as grandes ligas esportivas norte-americanas como a NBA e NFL na apresentação de uma ‘marca limpa’.

“Em vez de apoiantes de longa data, como o Barclays, cuja parceira com a Premier League já durava desde 2001, a liga terá uma lista de parceiros secundários a partir da próxima temporada em diante“, disse Richard Masters, diretor administrativo da Premier League .

Segundo ele, em 2016/17, a meta é ter 7 patrocinadores em vez de um patrocinador: três deles  – Nike, EA Sports e Tag Heuer – já foram anunciados. Pelo acordo atual, assinado em 2012, a Barclays pagava £ 40 milhões por ano (R$ 204 milhões).

Segundo fontes da Imprensa britânica, os diretores da Liga recusaram oferta de £ 45 milhões por ano (R$ 230 milhões), num contrato de 3 anos, da indústria de bebidas Diageo, dona das marcas Johnnie Walker, Smirnoff e Guinness. Queriam pelo menos £ 60m (ou R$ 300m).

A última vez que a Premier League havia mudado sua identidade visual foi 2007.


Em temporada de altos e baixos, United anuncia receita recorde
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Apesar de uma temporada marcada por dificuldades, criticas à direção técnica e insatisfação de parte da torcida, o Manchester United anunciou nessa sexta-feira uma receita trimestral recorde de £ 123.4m (R$ 618 milhões) para o período encerrado em 31 de março.

Manchester United: sucesso nas contas

United: tropeço nos gramados, sucesso nas contas

O resultado representa um aumento de 29,9% sobre os primeiros 3 meses de 2015 e foi impulsionado em grande parte pelo crescimento de 37,7% na receita comercial do clube, que atingiu £65.8 milhões nesse período (cerca de R$ 329,65 milhões).

“O Manchester United assinou cinco acordos de patrocínio nesse início de ano, incluindo contratos globais com a Gulf Oil Internacional, do mercado de óleo e gás, e a 20th Century Fox, do setor de comunicação e entretenimento,” informou Ed Woodward, vice-presidente do conselho do clube.

Segundo Woodward, o resultado do trimestre garante que a receita estimada para todo o exercício fique entre £ 500 e £ 510 milhões (R$ 2,205 e R 2,555 bilhões), mesmo diante da possibilidade real do time não estar na Liga dos Campeões na próxima temporada.

O United entra na última rodada precisando vencer o Bournemouth, no Old Trafford, e ainda torcer para o rival Manchester City perder para o Swansea, no Liberty Stadium, se quiser chegar ao 4º lugar que dá uma vaga direta à Liga dos Campeões.

Copa
Independente do resultado final, o dirigente já se diz satisfeito com a temporada 2015/16: “A Premier League mostrou porque é liga mais popular do esporte mais popular”, disse Ed Woodward.

“Ao refletirmos sobre a nossa temporada, se não estamos completamente satisfeitos com os resultados, estamos contentes com o surgimento de uma safra de jovens jogadores, que mostraram identificação com o clube e provaram mais uma vez a força da academia do United.”

Para ele, o time ainda tem a final da Copa da Inglaterra [em 21 de maio] e espera vencer o troféu.

“Não deixa de ser uma vitória especial, pois seria nosso 12º título e igualaríamos o recorde [do Arsenal] como maior vencedor do torneio.”


Vídeo: treino do Dortmund vira show de habilidade
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Depois da semana cheia, com duas vitória na estrada, na quarta-feira, em Berlim um 3-0 o Hertha na semifinal da Copa da Alemanha, depois no sábado, pela liga, outra vitória sobre o Stuttgart, na Mercedes-Benz Arena, o Dortmund foi buscar refúgio no clima montanhoso do Centro de Treinamento em Brackel, perto de Darmstadt, a 200 km de Dortmund.

Parecia um treino normal para os zagueiros Mats Hummels, Łukasz Piszczek e Marcel Schmelzer, além do meia Julian Weigl e a estrela Pierre-Emerick Aubameyang, até aparecerem uns trabalhadores bons de bola…

Claro que é uma brincadeira armado com um grupo de foot stylers alemães parte de uma promoção de uma indústria de automóveis, a Opel Deutschland, patrocinadores do clube.

O Dortmund volta a campo no sábado pela 32ª rodada da Bundesliga, no Signal Iduna Park contra o Wolfsburg.


MLS: agora ao vivo no Japão e na China
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Focada em ampliar sua presença no Leste Asiático como parte da sua estratégia de crescimento, a MLS anunciou nessa quinta-feira um acordo com a Fuji TV, do Japão, e a expansão da atual parceria com a Le Sports, da China para a transmissão ao vivo dos jogos da liga.

A ampliação da parceria com a Le Sports, anunciada em 2015, permite que a emissora chinesa transmita um número maior de partidas da temporada regular ao vivo para a China continental. Além do All-Star Game, jogos dos playoffs e a MLS Cup (final do campeonato).

A Le Sports ainda terá o direito para edições semanais de destaques, gols, estatísticas, especiais sobre jogadores, bastidores e outros conteúdos exclusivos da MLS.

Segundo informou Gary Stevenson, diretor executivo da MLS Negócios, em um comunicado, em apenas um ano, a parceria com a Le Sport e suas plataformas de mídia extensiva mostrou ser um sucesso, criando uma enorme base de torcedores dos times norte-americanos na China e uma excelente penetração da marca MLS naquele mercado.

“O formato da competição, com estrelas do futebol reconhecidas no mundo todo agradou de imediato ao público chinês,” confirma Lei Zhenjian, CEO de Le Sports.

“E o aprofundamento da parceria vai beneficiar centenas de milhões de torcedores na China, que terão acesso aos conteúdos na plataforma que desejar.”

Internacional: o japonês Kudo ao lado do Pa Modou, de Gâmbia

Mundial: o japonês Kudo ao lado do Pa Modou, de Gâmbia

Japão
O acordo com a Fuji TV, uma das maiores redes da TV japonesa vale para as temporadas 2016 e 2017 e prevê a transmissão ao vivo de duas partidas da temporada regular por semana, além dos playoffs e da MLS Cup.

Além dos jogos pela TV, o público japonês vai poder assistir aos jogos ao vivo, clips, boletins de notícias semanais pela TV ou qualquer outra plataforma digital.

A MLS conta hoje com 4 jogadores japoneses: os atacantes Masato Kudo, ex-jogador do Kashiwa Reysol, com passagem pela seleção, do Vancouver Whitecaps e Tsubasa Endoh, do Toronto FC.

E os meias Daigo Kobayashi, 33, e Zachary Herivaux, 21, ambos do New England Revolution.

Nenhum chinês atua na MLS, que hoje é distribuída em mais de 140 países e territórios ao redor do mundo.


Revolução nos direitos de TV: Alemanha proíbe exclusividade na Bundesliga
Comentários 2

Celso de Miranda

Pela primeira vez, a Alemanha aprovou um plano para impedir que todos os direitos de transmissão ao vivo dos jogos de futebol acabe nas mãos de uma só empresa: atualmente, a Sky tem os direitos exclusivos das transmissões da Bundesliga e da Bundesliga-2.

Atendendo aos pedidos da Liga Alemã de Futebol (DFL), a agência  anti-cartel do Ministério da Economia da Alemanha – Bundeskartellamt -, anunciou nessa quarta-feira a criação de novos mecanismos que na prática implementam a obrigatoriedade de haver múltiplos compradores (“no-single-buyer-rule”) nos próximos contratos.

Concorrência: de 30 a 106 jogos obrigatoriamente vão para um segundo comprador

Concorrência: de 30 a 106 jogos obrigatoriamente vão para um segundo comprador

Segundo o Bundeskartellamt, as regras que passam a valer a partir das temporada 2017/18 asseguram que entre 30 e 102 jogos (dos 306) de cada temporada sejam abertos a um ou mais compradores alternativos.

“Sejam em modelos que incluam TV, Internet, celular ou outras plataformas”, disse Andreas Mundt, presidente da Bundeskartellamt.

“Nós nos concentramos em garantir que mais de um único licitante possa adquirir os direitos ao vivo“, disse Mundt. “Apenas um agente operando nesse mercado implica no risco de que a concorrência e a inovação sejam restrita, em particular nas ofertas baseadas na Internet.”

A decisão na prática significa que nem a atual detentora Sky Deutschland, nem qualquer outro concorrente poderá mais adquirir todos os direitos de TV ao vivo da Bundesliga seja por assinatura a cabo ou satélite.

Seifert e Guardiola: casa dos bilhões

Seifert e Guardiola: casa dos bilhões

Mundt respondeu aos receios de torcedores, que acham que terão que adquirir uma segunda assinatura, ou outro decodificador. “Como a experiência de outros países – por exemplo, a Inglaterra – mostra um modelo desse tipo geralmente não leva o consumidor a ter mais de uma assinatura”, explicou.

“Pelo contrário, o que aumenta é a oferta de jogos à disposição dos torcedores.”

Faturamento
O que costuma aumentar também é o faturamento da Liga e dos clubes: os detalhes dos contratos, é claro só serão definidos na época dos novos contratos, mas a expectativa é que se arrecade muito mais.

A DFL espera que o novo modelo de negócio leve a um aumento significativo na receita, se espelhando no que aconteceu no Reino Unido, onde Sky e BT Sports dividem os direitos de cobertura ao vivo da Premier League.

“A fim de manter a competitividade da Bundesliga, temos que ser o número dois em receitas na Europa,” defende Christian Seifert, CEO da DFL.

“Para isso a arrecadação proveniente dos meios de comunicação tem que ultrapassar a marca dos bilhões nos próximos anos.”

Na atual temporada o campeonato vai faturar em nível nacional e internacional €663 milhões €154 milhões, respectivamente.

Na próxima temporada, em que o atual contrato de TV expira, serão €673 milhões e €162 milhões.

É realmente muito pouco quando se compara com o atual contrato da Premier League, que arrecada € 2.3 bilhões por ano, apenas com mídias nacionais.


Infantino defende UEFA e nega ato ilícito em acordo com TV equatoriana
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Gianni Infantino fez ontem a negativa mais veemente até essa data de seu envolvimento em qualquer irregularidade nos chamados ‘Panamá Papers’.

O presidente da FIFA afirmou que não houve nenhum ato ilícito na negociação dos direitos entre a UEFA e a TV equatoriana e criticou a forma como o seu envolvimento tem sido tratado na Imprensa, classificado-o como uma “desgraça”.

Hoje presidente da FIFA, Gianni Infantino assinou documento como diretor jurídico da UEFA

Hoje presidente da FIFA, Infantino apareceu nos ‘Panama Papers’ como diretor jurídico da UEFA

Em uma entrevista à revista alemã Kicker, Infantino disse que agiu absolutamente de acordo com as normas da entidade quando, como diretor jurídico da UEFA, assinou um acordo de direitos de transmissão da Liga dos Campeões com uma empresa offshore localizada em uma remota ilha do Pacífico.

Na semana passada, a polícia da Suíça procurou a sede da UEFA, em Nyon, para investigar uma possível “gestão fraudulenta” no acordo assinado em 2006.

O parceiro de marketing da UEFA, a ‘Team Marketing’ vendeu os direitos de transmissão dos jogos no Uruguai para a Cross Trading, uma empresa de propriedade dos argentinos Hugo e Mariano Jinkis.

"Desgraça"

“Cobertura tem sido uma vergonha”

Pai e filho estão entre as 42 autoridades e entidades, que enfrentam acusações de corrupção nos Estados Unidos como parte do chamado ‘FIFA Gate’.

A negociação foi revelada no vazamento de 11 milhões de documentos sobre mais de 214 mil empresas offshore listadas pela panamenha Mossack & Fonseca.

Não há evidência de que qualquer pessoa ou a UEFA agiu ilegalmente, mas foram levantadas questões sobre os motivos que levaram a entidade a negociar com uma empresa offshore desconhecida em vez de tratar diretamente com uma emissora reconhecida.

Champions League 2005/06: direitos de transmissão deixaram o rastro

Champions League 2005/06: direitos de transmissão deixaram o rastro

A UEFA diz que não tinha conhecimento na época, que a Cross Trading acabaria revendendo os direitos à emissora equatoriana TeleAmazonas por três vezes o preço.

“O assunto tem sido tratado de forma precipitada”, avalia Infantino. “Muita coisa nem nós sabíamos. É simplesmente uma vergonha.”

“Todo o processo foi correto e bem documentado,” disse Infantino à Kicker. “A Team Marketing recomendou a melhor das duas propostas recebidas e o contrato foi negociado pela agência em detalhes e examinada por duas divisões da UEFA.”

"Não

“Fui um dos diretores que assinou por pura coincidência: poderia ter sido qualquer um”

Ainda de acordo com Infantino, seguindo um procedimento padrão da UEFA o documento foi assinado por dois diretores da entidade:

“Neste caso, eu fui um dos dois, mas dependendo da disponibilidade, poderiam ter sido dois outros diretores.”

“Se após a assinatura do contrato, o comprador dos direitos de transmissão realizou alguma operação abusiva, nem a UEFA, nem eu, nem o outro diretor que assinou, tivemos qualquer conhecimento, muito menos influência sobre isso.”