Blog FastFut

Arquivo : Futebol Olímpico

Heróis do Futebol Olímpico: Kiko, Espanha (Barcelona, 1992)
Comentários Comente

Celso de Miranda

Depois de mais de 70 anos, uma seleção anfitriã chegava à decisão do torneio de futebol nos Jogos Olímpicos naquela noite de 8 de agosto de 1992.

A Espanha, em Barcelona pretendia repetir o feito da Bélgica em Antuérpia, em 1920 e do Reino Unido – que ainda competia como uma única Federação -, em 1908 em Londres (quando o futebol foi oficialmente incluído na programação dos Jogos) e vencer a Medalha de Ouro em casa.


Poland v Spain Olympic Football Final 1992 por timsalmon17

Mas isso não parecia lá tão fácil ao final da primeira etapa, os 95 mil torcedores no Camp Nou, incluindo o rei Juan Carlos, a Rainha Sofia e o presidente do COI, Juan Antonio Samaranch viram o o atacante Wojciech Kowalczyk abrir o placar para a Polônia (44′).

Foi primeiro gol sofrido no torneio pela Espanha, que havia passado na primeira rodada por Colômbia (4-0), Egito (2-0) e Qatar (2-0), eliminando Itália (1-0) nas quartas-de-final e Ghana, por 2-0 nas semifinais.

A Espanha tinha Pep Guardiola e Luis Enrique mas foi o zagueiro Abelardo, então no Gijón, que faria longa carreira no Barcelona, quem empatou a partida (65′) e Francisco “Kiko” Narvaez, atacante do Atlético Madrid, quem levou os anfitriões à liderança.

Ouro: com Ferrer, Kiko e o gol para a história

Ouro: com Ferrer, Kiko e um gol para a história

Mas a Polônia mostrou sua força olímpica e novamente igualou o placar com Ryszard Staniek (76′).

A partida já ia além do tempo regulamentar e a prorrogação já parecia certa, quando Kiko, que já havia feito o gol da vitória contra a Itália nas quartas, marcou o gol da vitória e da Medalha de Ouro.

Na seleção principal adulta Kiko presença constante durante 6 anos (1992–1998), totalizando 26 partidas e 5 gols e disputando a Euro 1996 e a Copa de 1998.

Véspera
Outra seleção já havia feito história um dia antes, no dia 7, na disputa do 3º lugar entre Austrália e Gana: com o time mais novo da competição (18,8 anos), os africanos venceram por 1-0 e ficaram com a Medalha de Bronze, tornando-se o primeiro país Africano a  ganhar uma medalha no torneio de futebol olímpico.

Registro: Gana recebe primeira medalha olímpica para o futebol africano

Registro: Gana recebe primeira medalha olímpica para o futebol africano

Gana marcou numa cobrança de falta de Isaac Asare, aos 20 minutos: o jovem herói africano se transferiu para a Bélgica, onde atuou no Anderlecht, sendo emprestado para times de menor expressão, até se transferir em para o Cercle Brugge (hoje na 2ª divisão).

Aos 41 anos, o zagueiro se aposentou atuando no Lentezon Beersem time de uma liga regional de Antuérpia, onde mora.

A medalha de Gana apenas abriu o caminho para uma série de conquistas das seleções africanas nos Jogos Olímpicos: em 1996, em Atlanta, a Nigéria conquistou o Ouro vencendo a Argentina na final (3-2).

Em Sydney, 4 anos depois, foi a vez de Camarões vencer o título batendo a Espanha na decisão (2-2/5-3pen). Em 2008, em Pequim a Nigéria voltaria ao pódio, ficando com a Prata, ao ser derrotada pela Argentina (1-0)

 


Heróis do Futebol Olímpico: Kazimierz Deyna (Polônia,1972)
Comentários Comente

Celso de Miranda

Quando a seleção olímpica da Hungria entrou no Olympiapark de Munique, na Alemanha Ocidental na tarde de 10 de setembro de 1972 para decidir o torneio de futebol diante da Polônia, além de tentar o 3º título consecutivos, defendia uma série invicta de 18 partidas (16 vitórias, 2 empates): a última derrota havia sido para a Dinamarca, por 2-0, nas semifinais em 1960, em Tóquio.

E os “Mágicos Magiares”  já venciam por 1-0 no intervalo, gol de Béla Várady, quando a Polônia revelou mundo – e para os mais de 80 mil torcedores no Estádio Olímpico o meia Kazimierz Deyna, autor dos dois gols da virada, que deram o Ouro aos poloneses.

Deyna, que terminou o torneio como artilheiro com 9 gols, estava longe de ser uma estrela individualista e fazia parte de um time que tinha Grzegroz Lato e Robert Gadocha, e serviria de base para as conquistas da medalha de prata em Montreal, em 1976, e da 3ª posição na Copa do Mundo de 1974, na Alemanha Ocidental.

Dois gols na final e a medalha de ouro

Dois gols na final e a medalha de ouro

Na disputa do 3º lugar União Soviética e Alemanha Oriental empataram em 2-2 e dividiram o Bronze (na época não havia nenhum mecanismo para determinar o vencedor).

O Brasil com apenas 1 ponto – empate com a Hungria (2-2) e derrotas para Dinamarca (3-2) e Irã (1-0) – não superou a primeira fase, ficando em último em seu grupo.

‘Szacunek’
Após a Copa voltou a Polônia e ao Legia Warszawa, onde jogou de 1966 a 1978 (304 jogos e 93 gols). Uma estátua de bronze de Deyna está na rua Łazienkowska, em Varsóvia, diante do estádio do Legia e não é raro ver flores aos  normalmente coberto de flores colocadas junto à bola e ajeitadas bem adiante de pé direito.

Eterno: ouro na medalha, bronze na estátua

Eterno: ouro na medalha, bronze na estátua

Em 1978, Deyna foi para o Manchester City, onde virou ídolo: “O rapaz era icônico”, lembra Brian Kidd, ex-companheiro do polonês e atual assistente do City. “Era sublime. Tão elegante.”

“Tinha uma excelente visão de jogo e uma… sofisticação, não encontro outra palavra pra descrever a forma com que conduzia e passava a bola. As pessoas falam sobre a técnica do afluxo de jogadores estrangeiros nos dias de hoje. Kazi estava bem acima.”

Em 1981, ainda jogador do City, apareceu no filme “Fuga para a Vitória”, ao lado de Pelé, Bobby Moore e Sylvester Stallone, onde fazia um dos prisioneiros que enfrentava o time de soldados alemães.

Vitória: no filme de 1981, ao lado de Pelé e Bobby Moore

Vitória: no filme de 1981, ao lado de Pelé e Bobby Moore e do “goleiro” Stallone

No mesmo ano, Deyna assinou com o San Diego Sockers, da North American Soccer League (NASL), onde jogou 7 temporadas – sendo 3 na Liga Indoor – até 1987.

Deyna permaneceu nos Estados Unidos depois de aposentados. Dois anos depois, em 1989, morreu em um acidente de carro em San Diego, Califórnia, aos 41 anos.

Seu número 10 é aposentado pelo Legia Warsaw. Em junho de 2012, os restos mortais de Kazimierz Deyna foram trasladados para Varsóvia e enterrados num Cemitério Militar: nas lápide de mármore, ou nas paredes de Varsóvia, onde os torcedores não esquecem de homenagear seu ídolo, apenas uma palavra: “Szacunek” (ou ‘Respeito’).


França já treina em Belo Horizonte
Comentários Comente

Celso de Miranda

Depois de 22 horas do voo, a seleção feminina da França desembarcou  no Rio de Janeiro nessa terça-feira e seguiu para Belo Horizonte, onde as jogadoras conheceram rapidamente o Mineirão e em seguida fizeram uma rápida sessão de recuperação física.


Equipe de France Féminine : voyage et premières… por ffftv

Nessa quarta, sob o comando do técnico Philippe Bergeroo a equipe semifinalista em Londres terá dois períodos de treinamentos em Belo Horizonte, onde o time estreia nos Jogos Olímpicos no dia 3 de agosto diante da Colômbia.

Em busca do Ouro: francesas já treinam em Belo Horizonte

Em busca do Ouro: francesas já treinam em Belo Horizonte

No Mineirão, a França enfrenta ainda os Estados Unidos, no sábado, dia 6.

Em seguida, as francesas encerram sua participação na 1ª fase contra a Nova Zelândia na Fonte Nova, em Salvador (terça, 9)

Despedida
No sábado passado, França e Canadá reencenaram no Stade Abbe Deschamps, em Auxerre, a disputa pelo 3º lugar nos Jogos Olímpicos de Londres.

No último amistoso das duas seleções antes da viagem ao Brasil, a França devolveu o placar que há 4 anos garantiu a Medalha de Bronze para as canadenses e venceu por 1-0, com um gol da meia do Lyon Camille Abily, numa linda cobrança de falta.


Rio 2016: Austrália e China vão representar a Ásia nos Jogos Olímpicos
Comentários Comente

Celso de Miranda

A Austrália se classificou para os Jogos Olímpicos de 2016, após a vitória por 2-1 sobre a Coreia do Norte no torneio pré-Olímpico da Ásia nessa segunda-feira.

Michelle Heyman e Katrina Gorry marcaram os gols, que garantiram a 4ª vitória em 4 jogos a primeira participação das Matildas nos Jogos Olímpicos desde 2004, em Atenas .

Matildas qualify for RioBook the tickets we’re going to Rio!A 2-1 win over DPR Korea means the Matildas have qualified for The Olympic Games!

Publicado por SBS The World Game em Segunda, 7 de março de 2016

O resultado acabou eliminando a Coreia do Norte, que ainda disputava a outra vaga: a China, que derrotou a Coreia do Sul por 1-0 no início da rodada, no Estádio Nagai, e será a 2ª representante da Ásia no Brasil em agosto deste ano.

Wang Shanshan, de 26 anos, marcou o único gol da partida poucos minutos antes do intervalo: a atacante do Tianjin aproveitou um cruzamento de Wang Shuang pelo lado esquerdo do ataque e, de cabeça, bateu a goleira Kim Jung-mi.

Oito vezes campeãs asiáticas, as chinesas não disputavam os Jogos Olímpicos desde 2008, em Pequim.

Na outra partida do dia o Japão venceu o Vietnã por 6-1

Austrália: de volta

Austrália: de volta

Tabela
Apesar da boa campanha da Coreia do Norte, Austrália e China conseguiram a vaga com uma rodada de antecipação.

Na última rodada, na quarta-feira, as duas seleções já classificadas se enfrentam e decidem a primeira posição no torneio:  Austrália (12 pontos) e China (10) jogam no  Estádio Nagai, Osaka.

Japão (4) e Coreia do Norte (5) se despedem no Estádio Kincho e Coreia do Sul e Vietnã (Nagai) completam a rodada.

Com a classificação de Austrália e China resta apenas uma vaga para o futebol feminino dos Jogos Olímicos que será preenchida nessa quarta-feira, no torneio que está sendo disputado na Holanda.

Quatro seleções entraram na disputa, mas apenas 3 seleções ainda têm chances de ficar com a vaga: Suécia, Noruega e Holanda (a Suíça já não tem mais chances).

Já garantidas na Rio 2016: Brasil (sede), Colômbia (Concacaf), França e Alemanha (UEFA), África do Sul e  Zimbábue (CAF), Nova Zelândia (OFC), Canadá e Estados Unidos (Concacaf), Austrália e China (AFC).

 


Futebol Olímpico: morre Anatoli Ilyin, medalha de ouro em 1956
Comentários Comente

Celso de Miranda

Em Moscou, na arena do Spartak foi realizada nessa segunda-feira a despedida de Anatoly Ilyin, famoso jogador Soviético e ídolo da seleção vencedora do Jogos Olímpicos de 1956,  que morreu na quarta-feira aos 85 anos.

Em 1958, enfrentando a Inglaterra na Copa

Contra a Inglaterra outro gol decisivo diante da Inglaterra na Copa de 1958

Ilyin marcou o gol decisivo na final contra a equipe da Iugoslávia (1-0). Ele foi o também autor do primeiro gol na história das Copas e Campeonatos da Europa: aos 4′ da partida União Soviética e Hungria, em 28 de setembro de 1958, no Estádio Luzhniki, em Moscou, no primeiro jogo das Eliminatórias da primeira Eurocopa (a de 1960).

A União Soviética acabou vencendo a Hungria por 3-1 na partida naquela noite e a mais tarde também a Euro (mas ja sem Anatoli Ilyin).

Com a camisa da União Soviética foi sempre o artilheiro das horas decisivas: na Copa de 1958, a URSS caiu no Grupo 4 com Brasil, Inglaterra e Áustria.

Campeões em Melbourne: Ouro

Campeões em Melbourne: Ouro para os soviéticos

Depois de terminar empatado com a Inglaterra em 2º do grupo (atrás do Brasil), um jogo de desempate foi necessário, no Estádio Ullevi, em Gotemburgo: aos 69′, Anatoli Ilyin marcou o único gol da partida que classificou os soviéticos para as quartas-de-final contra a dona da casa Suécia.

Homenagem
A cerimônia nessa segunda-feira contou com a presença de antigos jogadores da equipe olímpica de 1956, entre eles Nikita Simonyan, Anatoly Isaev e Aleksey Paramonov, além de Eugene Lovchev e Valery Reingold, ex-companheiros  do Spartak, time pelo qual o atacante atuou durante toda sua carreira profissional.

Entre 1949 e 1962, Ilyin fez 228 jogos e marcou 83 gols pelo ‘vermelho e branco’ e foi 5 vezes campeão da URSS (1952, 53, 56, 58 e 1962), além de terminar como artilheiro do campeonato em duas ocasiões, 1954 e 58.

 

 

 


Melbourne City vence W-League australiana pela primeira vez
Comentários Comente

Celso de Miranda

O Melbourne City venceu seu primeiro título da W-League com uma vitória incontestável na final sobre o Sydney FC, por 4-1 nesse domingo no AAMI Park.

A vitória coroou a campanha quase perfeita do time liderado por Lisa De Vanna, capitã da seleção australiana na Copa do Mundo em 2015: o City venceu todas as 8 partidas da temporada regular. Na semifinal, empatou diante do Brisbane Roar, avançando graças à cobrança de pênaltis.

Fundado em 2015, o time feminino do Melbourne City tornou-se a 10ª equipe a aderir à W-League, a primeira divisão do futebol feminino na Austrália.

O clube é o antigo Melbourne Hart, rebatizado em 2014 quando foi adquirido pelo City Football Group, empresa que atua sob tutela do Manchester City e tem como matriz o Abu Dhabi United Group.

A W-League foi fundada em 2008 com 8 times, na temporada passada chegou a ter 10, mas nessa 9 times participaram. A temporada começa em novembro e termina em fevereiro. Os maiores vencedores com 2 títulos fora o Brisbane Roar, ex-Queensland Roar (2008/09 e 11/12), o Sydney FC (2009, 12/13) e o Canberra United (11/12 e 14).

O grande rival do City, o Melbourne Victorytem um título, conquistado na temporada 13/14, quando o time tinha como destaque justamente a meio-campista Lisa De Vanna.

So many great moments in this Westfield W-League grand final! Gotta rate Jess Fishlock and Kim Little’s competition to take the free kick! And what a goal! All class.

Publicado por SBS Zela em Sábado, 30 de janeiro de 2016

Final
Com meia hora de jogo, Larissa Crummer cruzou e a zagueira Jennifer Beattie finalizou duas vezes, primeiro de cabeça e no rebote da goleira Michelle Betos, bateu de pé esquerdo para dar a vantagem ao time da casa.

No segundo gol, um momento inusitado: a capitã Jess Fishlock e a meia Kim Little tiraram no joquempô (ou ‘pedra, papel e tesoura’) para ver quem iria cobrar a falta próxima à área do Sydney.

Little que colocou “tesoura” ganhou e cobrou a falta com categoria no canto superior direito do gol de Betos ampliando a vantagem do City (54′)

Os visitantes diminuíram num cobrança de pênalti: Alanna Kennedy foi derrubada dentro da área e Kyah Simon cobrou (69′).

A trademark Lisa De Vanna goal (and celebration!) and Melbourne City FC are the 2016 Westfield W-League champions. Catch the full highlights here: http://theworldgame.sbs.com.au/video/612538435721/Melbourne-City-v-Sydney-FC

Publicado por SBS Zela em Domingo, 31 de janeiro de 2016

Faltando 15 minutos para o fim, o Sydney partiu para o ataque e acabou expondo sua defesa. E o experiente time do Melbourne liquidou o jogo em dois gols contra-ataques: Beattie Goad marcou aos 80′, com o gol vazio depois de uma excelente jogada da De Vanna. Depois, já nos acréscimos a própria De Vanna marcou o 4º gol (90+3′).

Jogos Olímpicos
A partir de agora o futebol feminino australiano se concentra na classificação para os Jogos Olímpicos do Rio: a Austrália disputa com Japão, Coreia do Norte, China, Coreia do Sul e Vietnã uma das duas vagas na Fase Final do Pré-Olímpico da difícil chave asiática, que acontece entre 29 de fevereiro e 9 de março no Japão.

As “Matildas” estreia no dia 29 de fevereiro contra o  dono da casa, Japão atual vice-Campeão Olímpico e Mundial no Estádio Kincho, em Osaka.


Rio’2016: 6 semanas após cirurgia, meia dos EUA volta aos treinos
Comentários Comente

Celso de Miranda

A corrida de Megan Rapinoe para entrar em forma a tempo de participar dos Jogos Olímpicos em agosto, no Rio de janeiro está indo bem nos primeiros estágios de reabilitação, disse a meio-campista da seleção feminina dos Estados Unidos (USWNT).

U.S. Soccer’s Megan Rapinoe talks about her recovery from surgery and tells Jenny Taft when she hopes to be back. #USWNT

Publicado por FOX Soccer em Sábado, 23 de janeiro de 2016

Apenas seis semanas depois da cirurgia para reparar o ligamento cruzado anterior (ACL) do joelho direito, a jogadora apareceu no pré-jogo entre EUA e República da Irlanda (5-0), em San Diego, dizendo que se sente bem e já iniciou seções de fisioterapia, que estão sendo realizadas em duas etapas, numa clínica em Los Angeles e numa Academia em Seattle, aonde a jogadora mora.

A grande questão: é se se ela estará pronta para as Olimpíadas?

“É claro que o objetivo é esse”, disse Rapinoe, à FoxSports, nos EUA. “Essa é uma oportunidade única na vida, mas antes de voltar eu quero estar saudável”, garantiu a campeã olímpica em 2012 e mundial em 2015.


“Quando eu estiver em campo, eu quero ser eu mesma, não alguém hesitante. Alguém com que a equipe possa contar.”

“Estamos trabalhando duro e com os melhores e estou pronta para fazer todo o esforço que for preciso para que isso aconteça”, disse a jogadora de 30 anos, que rompeu o ACL direito num treinamento da USWNT em dezembro.

Antes, ainda no futebol universitário, Rapinoe já havia rompido o ligamento duas outras vezes.

“E eu vou estar de volta para as Olimpíadas no Rio”, disse otimista, uma das 10 finalistas aos Prêmio FIFA de Melhor Jogadora do Ano.

Terceira vez: Rapinoe corre contra o tempo para vir ao Rio em agosto

Terceira vez: Rapinoe corre contra o tempo para vir ao Rio em agosto

Classificação
Primeiro, porém, as norte-americanas ainda precisam garantir uma vaga nos Jogos Olímpicos no torneio da CONCACAF em fevereiro.

Além de Rapinoe ainda se recuperando, a técnica Jill Ellis não conta mais com quatro campeãs do mundo que se aposentaram em dezembro: a atacante Abby Wambach, as meias Lauren Hollyday e Shannon Boxx e a zagueira Lori Chalupny.

O WSNT estreia no Pré-Olímpico da CONCACAF no dia 10 de fevereiro contra a Costa Rica


Rio’16: França e Noruega fazem amistoso de olho nos Jogos Olímpicos
Comentários Comente

Celso de Miranda

Com vaga garantida nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, como uma das melhores seleções europeias da última Copa do Mundo, no Canadá, a França faz contra a Noruega seu primeiro jogo em 2016, nessa terça-feira (26), no sul da Espanha, em La Manga.

Semifinalista nas Olimpíadas de Londres, a França é a atual 3ª colocada do ranking da FIFA e chegou às 4as. de final da Copa do Mundo, em 2015, quando foi eliminada nos pênaltis pela Alemanha, que ficou com a 2ª vaga europeia nos Jogos Olímpicos.

A Noruega é a 10ª no ranking e caiu nas 8as. (derrotada pela Inglaterra, 2-1), mas ainda tem esperanças de conseguir a  3ª vaga europeia no Rio: o time que não esteve em Londres participa entre 2 a 9 de março de um torneio para ‘desempatar’ com as outras 3 seleções da zona europeia que também ficaram nas 8as.: Holanda Suíça e Suécia.

Convocadas pelo técnico Philippe Bergeroo, a atacante do Lyon Eugénie Le Sommer e a meia Sandie Toletti, do Montpellier, sentiram contusões e serão poupadas. Bergeroo, porém chamou apenas mais um reforço: Viviane Asseyi, também do Montpellier.

“As jogadoras estão envolvidas nas competições em seus respectivos clubes, mas reunir o grupo agora era fundamental dentro da programação da seleção tendo em vista os à pista os prazos que nos esperam em 2016, sobretudo a otimização da preparação para os Jogos Olímpicos”, disse Philippe Bergeroo.

Bergeroo: adversários motivados em melhorar seu nível de jogo

Bergeroo: adversários motivados em melhorar seu nível de jogo

“A escolha da Noruega como adversário também foi muito importante”, afirmou. “Na verdade, a equipe norueguesa foi nossa primeira escolha: um time muito bem ranqueado, que sempre joga muito motivado contra nós, sobretudo porque também vive um momento de preparação, o que garante um adversário motivado e interessado em aumentar o seu nível de jogo.”

Clássico
Tradicionais rivais europeias, França e Noruega se enfrentaram pela primeira vez em 1980, em Poissy, com vitória das norueguesas por 3-0.

Primeira vencedora da Eurocopa, em 1987 e finalista da primeira Copa do Mundo em 1991 a Noruega foi campeã do Mundo em 1995.

Na primeira vez que o futebol feminino foi disputado nos Jogos Olímpicos, em 1996, Atlanta, nos Estados Unidos, a Noruega foi semifinalista e ficou com o bronze. Quatro anos depois em Sydney levou o Ouro.

Euro 2009: a geração de Camilla Abily e Louisa Necib

Euro 2009: a geração de Camilla Abily e Louisa Necib virou o jogo

Virada
Levaria 25 anos para a França conseguir vencer as escandinavas:  de 1980 a 2003, foram 11 jogos com 8 vitórias  norueguesas, incluindo um 3-0 na Euro 2001 na Alemanha e um 2-0 na Copa do Mundo de 2003, nos EUA.

Em 2005, enfim foi ali mesmo em La Manga, nos arredores de Alicante, que a França na época treinada por Elizabeth Loisel, venceu as rivais (2-0).

Em 2009, a Euro na Finlândia foi um ponto de virada: apesar do empate em 1-1, foi a França que se classificou pela primeira vez para a fase decisiva da competição.

De lá para cá a França venceu duas vezes e empatou uma. E não perdeu mais.

Depois do amistoso, o próximo compromisso da França será contra a Romênia, pelas Eliminatórias da Euro 2017, no dia 8 de Abril.

 


Rio’16: Iraque é semifinalista e enfrenta o Japão
Comentários Comente

Celso de Miranda

A equipe olímpica do Iraque se classificou para as semifinais da Copa da Ásia Sub-23 após uma vitória por 3-1 sobre os Emirados Árabes Unidos na prorrogação, depois de um empate em 1-1 no tempo regular, nesse sábado na última partida das quartas de finais do torneio realizado no Qatar.

Os ‘Leões da Mesopotâmia’ estão a apenas um passo de uma inédita participação nos Jogos Olímpicos: o próximo adversário é o Japão na terça-feira.

Na outra semifinal, que acontece no mesmo dia, o Qatar enfrenta a Coreia do Sul.

Os times derrotados nas semifinais disputam o 3º lugar e ainda têm uma chance de conseguirem a classificação para o Rio, ao lado do campeão e vice-campeão.

Jogo
Os Emirados Árabes abriram o placar num gol contra do zagueiro Alaa Ali Mhawi, aos 74′. Apenas 3 minutos depois, porém o Iraque empatou: o meia ALi Hisny marcou o gol que levou a partida à prorrogação.

A primeira metade do tempo extra passou em branco, mas logo que os times viraram, o artilheiro do time Mohanad Abdulraheem encontrou as redes.

No final, já nos acréscimos Amjad Attwan Kadhim fez o 3º.

Atual campeão está a um jogo da classificação para uma inédita participação nos Jogos

Atual campeão está a um jogo da classificação para uma inédita participação nos Jogos

Definição
Para as semifinais, se classificaram os campeões do Grupo A (Qatar), B (Japão) e C (Coréia do Sul). A única seleção que venceu seu grupo e não avançou foi justamente os Emirados Árabes ((D), que foi derrotada pelo Iraque, que terminou empatado em pontos (7) com a Coreia do Sul no Grupo C, mas em 2º por conta do saldo de gols.

Na próxima terça-feira, o Japão enfrenta o Iraque, no Estádio Abdullah Bin Khalifa. Em seguida, Qatar e Coreia do Sul jogam no Estádio Jassim Bin Hamad, em Doha.

Com vaga garantida nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, os finalistas jogam no sábado (30), no Estádio Abdullah Bin Khalifa.

A disputa do 3º lugar, que talvez seja o jogo mais importante do torneio, já que define a última vaga nos Jogos Olímpicos acontece na sexta, 29, no Estádio Jassim Bin Hamad, em Doha.


Rio 2016: Jordânia e Emirados Árabes avançam. Austrália fica fora
Comentários Comente

Celso de Miranda

Emirados Árabes Unidos e Jordânia completaram essa tarde a lista dos 8 times que irão disputar às quartas-de-final do Campeonato Asiático Sub-23.

Qatar, Irã, Japão, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Iraque, Emirados Árabes Unidos e Jordânia se enfrentam e as três melhores seleções garantem vaga nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

A Jordânia conquistou uma vaga para enfrentar a Coreia do Sul nas quartas, depois do empate em 0-0 com a Austrália nessa quarta-feira à noite.

Apesar de invicta na competição, a Jordânia terminou em 2ª lugar no Grupo D atrás dos Emirados Árabes Unidos, que ficaram com o primeiro lugar graças à vitória por 3-2 sobre o Vietnã no outro jogo do grupo, decidido no Estádio Grand Hamad.

Um gol contra do zagueiro Pham Hoang Lam, Mohamed Al Akberi e Ahmed Al Hashmi, cobrando pênalti marcaram para os Emirados. Nguyen Cong Phuong, de pênalti, e Tuan Anh Nguyen marcaro os gols do Vietnã.

Quartas de final:

22 de janeiro

  • Japão vs Irã – Estádio Abdullah Bin Khalifa
  • Qatar vs Coreia do Norte – Estádio Jassim Bin Hamad

23 de janeiro

  • Coreia do Sul vs Jordan – Estádio Suhaim Bin Hamad
  • Emirados Árabes Unidos vs Iraque – Estádio Grand Hamad