Blog FastFut

Categoria : Oceania

Nova Zelândia vence Eliminatórias e vai decidir vaga contra 5º da Conmebol
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Depois de vencer as ilhas Salomão por 6-1 em Auckland na última sexta-feira, a Nova Zelândia conquistou o título das Eliminatórias da Oceania nessa terça-feira com um empate em 2-2 no Estádio Lawson Tama, em Honiara.

Para ir à Copa, no entanto os campeões da OFC ainda terá de enfrentar o 5º colocado das Eliminatórias da América do Sul, num playoff ºque será disputado em outubro.

É a 3ª vez consecutiva que a Nova Zelândia chega aos playoffs: em 2010, o time superou o Bahrain (5º colocado da Ásia) para alcançar a Copa da África do Sul 2010.

Na última vez, em 2014, porém os “All Whites” perderam a vaga na Copa no Brasil para o México (4º colocado da Concacaf).

Goleada em casa garantiu a vaga no playoff intercontinental

Jogo
Mesmo enfrentando a umidade extrema na capital das Ilhas Salomões e de atuar sem vários de seus titulares, a Nova Zelândia não teve dificuldades para abrir 2-0 no placar: Myer Bevan(14′) e Heddis Gagame (contra, 21′).

O time da casa reagiu ainda no primeiro tempo: o atacante Micah Lea’Alafa diminuiu de pênalti, aos 28′. No segundo tempo, novamente de pênalti Henry Fa’Arodo empatou (78′).

Mas apesar do domínio em toda a segunda etapa, as Ilhas Salomão não conseguiram chegar à uma inédita vitória sobre os neo-zelandeses: em 8 jogos pelas Eliminatórias, nunca as Ilhas Salomão venceram a Nova Zelândia.


Eliminatórias da Oceania: Ilhas Salomão e Nova Zelândia no playoff final
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

As Ilhas Salomão venceram  Papua Nova Guiné por 2 a 1, no PNG Football Stadium em Port Moresby, e manteve vivas suas esperanças de ir à Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

O resultado, combinado com a vitória por 3 a 2 em Honiara, na sexta-feira passada, assegurou aos ‘Bonitos’ (como é chamada a seleção) terminaram na 1ª colocação do Grupo B e a vaga para fazer a final diante da Nova Zelândia , em duas partidas (31 de agosto e 5 de setembro).

O sorteio da ordem do mando dos jogos será realizado nessa quinta-feira, 15 de junho em Auckland, Nova Zelândia.

É a primeira vez em 12 anos que as Ilhas Salomão se classificam para o playoff decisivo: “Como esperávamos, não foi uma partida fácil”, disse o capitão das Ilhas Salomão, Henry Fa’arodo, que marcou, de pênalti o gol de empate. “Papua Nova Guiné foi um adversário muito forte e eles realmente nos colocaram sob pressão.”

“Estou orgulhoso do esforço que os meninos mostraram em campo e acho que merecemos a vitória hoje”, avaliou o veterano de 34 anos, um dos poucos que atuam fora do país (no Team Wellington, da Nova Zelândia).

No jogo decisivo, o PNG saiu na frente no placar: Raymond Gunemba (18′) marcou aproveitando a falha do goleiro Phillip Mango.

Mas ainda nos acréscimos do primeiro tempo, o árbitro japonês Iida Jumpei marcou pênalti do zagueiro Felix Komolong, que cortou com a mão o chute de Micah Leaalafa: Fa’arodo cobrou e marcou. No 2º tempo,o atacante Jerry Donga marcou o gol da vitória.

Decisão: “Bonitos” voltam a sonhar com a vaga, depois de 12 anos

‘Meia-vaga’
Ilhas Salomão e Nova Zelândia (que venceu o Grupo A) se enfrentam em dois jogos (31 de agosto e 5 de setembro) e o vencedor decide  uma vaga na Copa do Mundo contra o 5º colocado das Eliminatórias Sul-americanas (atualmente, a Argentina).

Na última (e única vez) que o time disputou a final das Eliminatórias da Oceania, em 2006, foi derrotado pela Austrália por 9-1 no placar agregado.

Na época, os australianos venceram o Uruguai (5º colocado da CONMEBOL) nos pênaltis e conseguiram a vaga na Copa do Mundo da Alemanha.

Desde então, com a saída da Austrália, que passou a disputar as Eliminatórias da Ásia, apenas a Nova Zelândia venceu o torneio continental: em 2010, a Nova Zelândia, conseguiu a vaga na Copa da África do Sul eliminando o Bahrein, 5º colocado da Ásia (1-0 no agregado).

Em 2014, porém os neozelandeses acabaram eliminados pelo 4º colocado da CONCACAF México, por 9-3 (ag.).

 


Sanfrecce Hiroshima vence na abertura do Mundial de Clubes
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Cinco dias depois de vencer o campeonato japonês e garantir a última vaga para a Copa do Mundo de Clubes, o Sanfrecce Hiroshima estreou nessa quinta-feira no torneio e venceu o Auckland City, da Nova Zelândia por 2-0, no Estádio Yokohama International.

Yusuke Minagawa e Tsukasa Shiotani garantiram a vaga nas quartas-de-final do time que faz apenas sua 2ª participação no torneio.

VIDEO Hiroshima 2-0 Auckland City (FIFA Club World Cup) Highlights – See more at: http://goal91.com

Posted by Goal91 on Quinta, 10 de dezembro de 2015

 

Apesar da controvérsia no primeiro gol por causa do aparente impedimento de Minagawa no lance o resultado final foi justo, com a equipe de Hajime Moriyasu sendo dominante e tendo as melhores chances durante toda a partida.

O brasileiro Douglas, do Hiroshima, que entrou aos 53′ no lugar de Kosei Shibashi poderia ter feito o seu depois de uma linda jogada, que começou numa boa troca de passes rápidos, mas que terminou com o atacante se jogando diante do goleiro para tentar cavar um pênalti ao invés de finalizar.

“Nós esperávamos que fosse difícil. Queríamos ter mais posse de bola e por isso sabíamos que teríamos que frasegifdefender bem e eu acho que fizemos isso”, disse Hajime Moriyasu, técnico do Sanfrecce Hiroshima.

“Eu concordo que o momento do nosso primeiro gol foi crucial, pois nos permitiu jogar de acordo com nossos pontos fortes, a defesa compacta e o contra-ataque.” (Hajime Moriyasu, técnico do Sanfrecce Hiroshima)

Segundo Moriyasu, o time ainda pode melhorar e ser mais ofensivo com a volta de três jogadores (Miyahato, Kazu e Hisato), que foram poupados nessa partida, por conta da final no sábado passado:

“Apesar das mudanças, senti que tivemos o  controle do jogo e provamos que temos condições de competir em alto nível.”

O Sanfrecce enfrenta na próxima fase o vencedor da Liga dos Campeões da África, o Mazembe.


De férias na Austrália, Kaká provoca onda de boatos na A-League
Comentários 1

Celso de Miranda

De férias na Austrália  Kaká tweetou fotos de si mesmo de bicicleta em torno de Sydney e nadando com tartarugas marinhas: só isso já bastou para surgirem especulações de que o brasileiro poderia estender o período de descanso para receber um convite de um dos clubes da A-League.

O técnico da seleção australiana, Ange Postecoglou contribuiu para a especulação no domingo, quando participou do programa ‘Offsiders’ da ABC TV e quando perguntado sobre o nível do campeonato nacional, afirmou que “o maior jogador que já tivemos irá se juntar à A-League em janeiro, tornando essa temporada melhor que nunca.”

Depois de visitar Sydney na semana passada, Kaká foi visto na cidade natal de Postecoglou, Melbourne essa semana.

Sydney FC, Melbourne Victory e Melbourne City são os únicos clubes tidos como sendo grandes o suficiente para sequer cogitar uma transferência de Kaká como jogador convidado.

Estima-se que Kaká custe cerca de R$ 26 milhões por temporada ao Orlando City. Diante dos boatos de que o jogador se reuniria essa semana com um dos maiores agentes da Austrália, Lou Sticca, o próprio empresário falou à rede de TV SBS sobre o assunto:

“Kaká tem um acordo de longo prazo na MLS, então eu não consigo ver isso acontecendo”, afirmou Sticca, que em 2012 foi o responsável por trazer e ex-capitão da Juventus e Campeão do Mundo em 2006, o italiano, Alessandro Del Piero para o Sydney FC, na maior transação da história do futebol australiano.

“Uma transferência dessas custaria um dinheiro enorme e a menos que houvessem razões pessoais para que Kaká desejasse mudar, eu simplesmente não consigo ver isso acontecendo”, disse Sticca.

“Ele teve uma temporada muito bem sucedida em Orlando e eu não o imagino como um jogador da A-League. ” Segundo o agente, há ainda o risco de lesões do jogador:

“Eu acho que as pessoas estão juntando dois e dois e  somando cinco”, afirmou. “Como fã eu adoraria ver isso acontecer, mas acho uma hipótese extremamente difícil.”

Alvos
Como o técnico Postecoglou não mencionou nomes, não estava claro se ele estava insinuando que o contratado seria Kaká ou talvez um outro astro brasileiro, como Ronaldindo Gaúcho, que tem sido objeto de reportagens recentes que poderão surgir na A-League.

Sticca também comentou sobre essa hipótese:  “Ronaldindo está fora do contrato, mas esses caras querem quantidades enormes de dinheiro e simplesmente não é viável, a menos que, como eu disse anteriormente, você encontre um gatilho, um atrativo extra que compense a motivação financeira e justifique a decisão pessoal do jogador em vir para a A-League.”


Auckland City já está no Japão para Mundial de Clubes
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

O Auckland City desembarcou nessa quarta-feira no Japão, tornando-se o primeiro time a chegar ao país para disputa a Copa do Mundo de Clubes da FIFA.

Surpresa do torneio do ano passado, quando só foi eliminado pelo San Lorenzo numa semifinal dificílima, decidida apenas na prorrogação, o representante da Oceania disputa a partida de abertura no International Stadium, em Yokohama, , no dia 10 diante do representante do país sede,  que só será definido no próximo sábado, quando acontece a partida de volta da final da J-League, entre Sanfrecce Hiroshima e Gamba Osaka.

O time neozelandês é o que mais disputou o torneio, nessa edição, completa sua 7ª participação.

Nessa sexta-feira, o Auckland fará um jogo-treino contra o Yokohama, o último antes da estreia na próxima  quinta-feira contra os campeões J-League.

“Foi uma longa viagem, mas estou feliz por estar de volta no Japão”, disse o zagueiro Takuya Iwata, do Auckland City. “Nossos jogadores estão relaxados como de costume e eu acho que nós podemos jogar de uma forma descontraída.

Conhecedor do futebol japonês, Iwata acredita que o Sanfrecce Hiroshima é favorito para vencer e título local e, portanto, ser o adversário do Auckland: “O que é bom, porque assim podemos nos vingar da derrota no Mundial de Clubes de 2012”, brincou.

Neozelandeses desembarcaram no Japão

Neozelandeses desembarcaram no Japão

O jogador falou ainda da esperança da equipe de avançar no torneio para enfrentar o Barcelona. No entanto, esse confronto só é possível em uma decisão: para isso o Auckland teria de eliminar os donos da casa, o Mazembe e o River Plate.

No ano passado, no Marrocos, o Auckland City eliminou dois times africanos (o campeão local Moghreb Tetouan e o ES Setif, representante da Argélia), antes de cair na semifinal diante do San Lorenzo, da Argentina.

“Queremos mostrar o avanço do futebol na Nova Zelândia, mas ir mais longe do que fizemos no ano passado é  obviamente muito difícil,” disse o treinador Ramon Tribulietx.

“Somos um clube pequeno e o importante para nós é sempre estarmos em desenvolvimento e enfrentando grandes equipes. Isso para nós é ótimo.”

Atual líder da Premiership, o Auckland em como um de seus destaques Micah Lea’Alafa, jogador das Ilhas Salomão, artilheiro da competição nacional.

 


Gol brasileiro garante a liderança do Brisbane na Austrália
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

O  Henrique salvou o Brisbane Roar pela segunda vez em menos de uma semana: nessa sexta-feira no Suncorp Stadium, o brasileiro veio do banco para marcar o gol do empate diante do Melbourne City (1-1), que recuperou a liderança da A-League na 7ª rodada.

No domingo passado,  no jogo que marcou o retorno do brasileiro depois de um longo período afastado por lesão, Henrique marcou o gol da vitória sobre o Perth Glory (1-0).

Nessa sexta, depois de receber um belo lançamento do meia Thomas Broich, o atacante dominou por trás do zagueiro e bateu rasteiro diante do goleiro  Thomas Sorensen.

Os visitantes saíram na frente com um gol do francês Harry Novillo, numa falha incrível do goleiro Jamie Young: ao tentar sair rápido, o experiente Young cobrou o tiro de meta sem olhar e acertou o calcanhar do zagueiro Daniel Bowles.

A bola sobrou para o atacante Bruno Fornorol, que tocou para Aaron Mooy que concluiu da entrada da área: nessa hora, Young se recuperou e fez boa defesa, mas a bola sobrou para Novillo que aproveitou a sobra e completou para o fundo do gol.

Tabela
O vice-líder o Melbourne Victory (13) já jogou na rodada. A seguir, o Sidney FC (11), que enfrenta o Perth só pode chegar aos mesmo 14. Com o empate o City se manteve na 7ª colocação.


Campeão da Liga, Melbourne Victory avança à final da Copa da Austrália
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Apesar do placar de 3-0, Melbourne Victory e Hume City, da 2 fizeram um jogo disputado na 2ª semifinal da FFA Cup (a Copa da Federação Australiana), no AAMI Park, nessa quarta-feira, só definido no últimos minutos por dois gols de Kosta Barbarouses (89′) e Jason Geria (95′), que garantiram o atual campeão da A-League na final Copa.

Apesar do placar, o modesto Hume City, time fundado pela comunidade turca no subúrbio de Melbourne, que disputa a NPLV – National Premier Leagues Victoria, uma liga semiprofissional, que equivale ao 3º nivel do sistema de ligas australiano, endureceu a partida e teve chances de sair na frente no primeiro tempo.

Mas quem marcou, afinal foi o Melbourne, que converteu uma penalidade cometida por Bradley Walker em Besart Berisha: o próprio Berisha abriu o placar.

Na decisão o Melbourne Victory vai enfrentar o Perth Glory (7 de novembro), que eliminou o outro time de Melbourne, o City, por 3-1, na primeira semifinal.

Em 2015, 648 times filiados à Federação australiana participaram da Copa: o Perth fará sua segunda final consecutiva, na temporada passada, o time perdeu para o Adelaide United por 1-0.

“Estamos de volta em mais uma final e espero que possamos dar um passo adiante,” disse o lateral direito Josh Risdon, em sua página nas redes sociais.

“Nossos dois primeiros jogos da A-League não foram muito bons, mas já conversamos e tenho certeza que estaremos prontos para a decisão.”

Sobre os adversários, o jogador apenas comentou: “Quem quer ser campeão tem que derrotar campeões.”


Samoa fica mais perto da Copa
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

Samoa venceu Tonga e avançou à 2ª Fase das Eliminatórias da Oceania graças ao saldo de gols, depois de uma final extremamente tensa nessa sexta-feira, no último dia do torneio pré-classificatório, que reuniu as 4 seleções com ranking mais baixo do continente, na Ilha de Tonga.

O time samoano fez 3-0 na equipe da casa (0v-3d) e com 2 vitórias e uma derrota teve que aguardar a última partida entre Samoa Americana (1v-1d) e Ilhas Cook (2v): um empate classificaria Cook, uma vitória por 3 gols e a vaga ficaria com Samoa Americana.

A vitória de Samoa Americana por 2-0 desclassificou ambas as seleções e entregou a vaga à Samoa, que agora avança para enfrentar na 2ª Fase Taiti, Nova Caledônia e Papua Nova Guiné.

Na outro grupo estarão Nova Zelândia, Ilhas Salomão, Fiji, e Vanuatu: os jogos acontecem nos meses de maio e junho de 2016 e 4 equipes (2 de cada grupo) se classificam para a 3ª Fase, quando todos se enfrentam em jogos de ida em volta (entre março e outubro de 2017)

O melhor da Oceania enfrenta o 4º colocado das Eliminatórias da CONCACAF no playoff de dois jogos em novembro de 2017, por uma vaga na Copa da Rússia


Ilhas Cook sai na frente nas Pré-Eliminatórias da Oceania
Comentários COMENTE

Celso de Miranda

As Eliminatórias da Oceania para a Copa de 2018 começaram nessa semana com uma fase preliminar disputada entre apenas 4 seleções: Ilhas Cook, Samoa, Samoa Americana e Tonga.

Nessa quinta, Ilhas Cook venceu Samoa e Samoa Americana bateu Tonga (1-0), gol de Talo Saghabi. Foi a 2ª vitória de Cook, que na segunda-feira estreou vencendo Tonga por 3-0 (os 3 gols de Saghabi).

2ª vitória: Ilhas Cook lidera

2ª vitória: Ilhas Cook lidera

Todos jogarão contra todos e apenas o melhor colocado avança para a 2ª fase se junta a mais 7 seleções (Ilhas Fiji, Nova Caledônia, Nova Zelândia, Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão, Taiti e Vanuatu) para se enfrentar em dois grupos de quatro equipes.

Os dois primeiros colocados de cada grupo avançam para a 3ª fase, onde em grupo único será decidido o vencedor da Eliminatória da OFC, que decide uma vaga na Copa contra o 4º  colocado da CONCACAF.

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>