Blog FastFut

Arquivo : Seleção Argentina

Sampaoli: os 5 desafios urgentes que esperam o novo técnico da Argentina
Comentários Comente

Celso de Miranda

Jorge Sampaoli foi oficialmente apresentado como treinador da Argentina e estreia no comando do time no amistoso contra o Brasil na próxima sexta-feira, 9 de junho, em Melbourne, na Austrália.

Em sua primeira entrevista à Imprensa, nessa quinta-feira,  disse que sua missão imediata é “construir uma equipe que respeite a história do futebol argentino”.

O ex-treinador do Sevilla falou, ainda, em restaurar a confiança dos torcedores.

Os 5 desafios

1- Classificar a Argentina para a Copa, claro!
O treinador de 57 anos, que se destacou no comando da seleção do Chile ao vencer a Copa América de 2015, batendo justamente a Argentina na decisão, é o 3º a dirigir a Argentina durante a atual edição das Eliminatórias da Copa do Mundo, depois de Gerardo Martino e Edgardo Bauza.

Faltando apenas 4 rodadas, a Argentina está em 5º lugar e apenas os 4 primeiros têm vaga garantida na Rússia 2018. Com o Brasil já classificado, o time está a 2 pontos da Colômbia e 1 de Uruguai e Chile.

Sampaoli espera retomar confiança da torcida

“A dificuldade nas eliminatórias é real: não estamos garantidos na zona de classificação, mas sabemos que temos recursos para isso”, afirmou Sampaoli.

O próximo jogo da Argentina nas Eliminatórias será contra o Uruguai, em Montevidéu, em 31 de agosto. Depois disso, o time recebe Venezuela (4 de setembro) e Peru (4 de outubro), antes de encerrar sua participação contra o Equador, fora de casa.

‘Messidependência’: apenas uma vitória sem ele

2- Deixar Messi feliz
Os torcedores têm razão para comemorar a decisão da FIFA, que cancelou a suspensão de 4 partidas de Lionel Messi: dos 7 jogos que o time fez sem ele nas Eliminatórias,  a Argentina só ganhou uma (da Colômbia, por 1-0).

A estrela do Barcelona foi decisiva nos últimas 4 vitórias, sobre Bolívia, Uruguai, Colômbia e Chile e Sampaoli sabe que tem que criar um ambiente – dentro e fora de campo – para que o jogador do Barcelona se sinta confortável e possa desenvolver o seu melhor futebol.

“Queremos a versão mais genuína do melhor jogador do mundo”, disse Sampaoli, acrescentando conversou com Messi nos últimos dias. “Nós o queremos feliz aqui.”

Artilheiro na Juve, Higuain continua sem brilhar na seleção

3. ‘Pegada’
Com Biglia, Mascherano, Banega e Di Maria no meio de campo, a Argentina de Bauza mostrou um problema quase irremediável no setor: não basta  manter a posse de bola e dominar as ações para vencer as partidas.

Sampaoli terá que deixar o time mais objetivo e devolver a agressividade à seleção.

4. Gols
Mesmo com Messi, Gonzalo Higuain, Sergio Aguero e Angel Di Maria, a Argenitna marcou apenas 15 gols em 14 partidas nas Eliminatórias e tem o 3º pior ataque da competição, à frente apenas de Bolívia (12) e Paraguai (13).

Dybala: na briga por mais espaço

5. Novas estrelas
Na estreia do time na Austrália, o treinador terá a chance para prestigiar alguns nomes, como Mauro Icardi (Inter de Milão), Gabriel Mercado (Sevilla), Leandro Paredes (Roma), Nicolás Otamendi (Manchester City), Emanuel Mammana (Lyon), Lucas Biglia (Lazio) e Guido Rodríguez (Tijuana).

Mas a presença mais esperada é a de Paulo Dybala: o meia-atacante  se apresenta após a decisão da Liga dos Campeões, entre  Juventus e Real Madrid, nesse sábado.

O time enfrenta o Brasil, na próxima sexta,  em Melbourne, e depois joga com Cingapura, no dia 13, em Kallang.


Messi faz 3 gols em 19 minutos e Argentina avança às quartas de final
Comentários Comente

Celso de Miranda

Depois de ficar de fora da primeira partida da Argentina na Copa América Centenário, a vitória por 2-1 sobre o Chile, Lionel Messi estreou nessa sexta-feira diante do Panamá e mostrou porque é considerado um dos melhores jogadores da história, marcando 3 gols após apenas 19 minutos em campo.

Mostrou, ainda porque a Argentina, com ele em campo é uma das favoritas ao título: o astro argentino entrou aos 61′ no lugar de Augusto Fernandez e marcou aos 68′, 78′ e 87′ na goleada por 5-0 no Soldier Field em Chicago e garantiu uma das vagas do Grupo D nas quartas de final.

Com apenas 29 minutos em campo, o argentino se igualou ao brasileiro Philippe Coutinho, na liderança da artilharia do torneio. Messi tem agora 53 gols pela seleção, apenas 3 a menos do recorde de Gabriel Batistuta.

A Argentina abriu o placar logo no início da partida, aos 7′: Angel Di Maria bateu falta e o zagueiro Nicolas Otamendi completou de cabeça na pequena área sem dar chance ao goleiro Jaime Penedo.

A tarefa do Panamá ficou ainda mais difícil aos 31′, quando o meia Anibal Godoy, do San Jose Earthquakes levou o segundo cartão amarelo, por um empurrão no rosto de Nicolas Gaitan, e foi expulso.

Gols
Em seu primeiro gol, Messi aproveitou uma falha na saída de bola do zagueiro Gabriel Gomes, que chutou a bola sobre Gonzalo Higuaín: na sobra, o camisa 10 só teve que empurrar para o fundo do gol.

Messi a 3 gols de se tornar o maior artilheiro argentino de todos os tempos

Fome de bola: Messi sai do banco e marca 3 vezes em 19 minutos

O 2º saiu numa bela cobrança de falta com muito efeito, que acertou o canto superior esquerdo do goleiro Penedo e o 3º coroou a apresentação de gala: Messi recebeude Ever Banega na área e depois de se livrar da marcação de Felipe Baloy bateu firme no canto direito do goleiro.

A 2ª vaga do Grupo D será definida na próxima terça-feira, na partida entre Panamá e Chile no Lincoln Financial Field: os dois times têm uma vitória e uma derrota, mas por causa do saldo de gols, os chilenos jogam por um empate.

No mesmo dia, no CenturyLink Field, em Seattle, a Argentina enfrenta a já desclassificada Bolívia. Provável vencedora do Grupo D (só uma derrota fragorosa para a Bolívia tiraria dela a liderança) a Argentina enfrenta na próxima fase o 2º colocado do Grupo C, México ou Venezuela, que se enfrentam na segunda-feira em Houston.

Ambos times têm 6 pontos, mas norte-americanos jogam pelo empate por terem melhor saldo de gols.


Favoritos, surpresas e ‘zebraças’: as chances de cada um na Copa Centenário
Comentários Comente

Celso de Miranda

No 100º aniversário da Copa América, a Argentina sai na frente como favorita para vencer o torneio que pela primeira vez será disputado fora da América do Sul – com 10 seleções da Conmebol e 6 da Concacaf – a partir dessa sexta-feira até 26 de junho.

Com 14 títulos, mas sem vencer desde 1993 a Argentina terá força máxima sob a liderança de Lionel Messi, que continua perseguindo seu primeiro título pela seleção principal.

Messi: em busca do primeiro título com a seleção

Messi: em busca do primeiro título com a seleção

O melhor jogador do mundo sentiu uma lesão nas costas no último jogo de preparação contra Honduras e está sendo poupado dos treinos na Califórnia, onde a seleção argentina está desde segunda-feira, mas deve estar pronto para a estreia na segunda, diante do Chile, no Levi’s Stadium.

Além do craque do Barcelona, Gerardo ‘Tata’ Martino conta com os principais nomes da seleção vice-campeã mundial e sul-americana como Kun Aguero, do City, Gonzalo Higuain, do Napoli, Javier Mascherano, do Barça e Angel Di Maria e Javier Pastore, do PSG.

A lista inclui ainda Erick Lamella (Liverpool), Ramiro Funes More (Everton), Ezequiel Lavezzi (Hebei Fortune), Marcos Rojo (Man United) e Nicolás Otamendi (Man City) entre outros.

Logo na primeira fase, no Grupo D, porém a Argentina terá a concorrência de outro concorrente ao título, o Chile.

Vencedor da Copa América no ano passado, o time de Juan Antonio Pizzi traz suas melhores armas, que encerraram a temporada na Europa em grande forma: sobretudo Arturo Vidal no Bayern de Munique e Alexis Sanchez no Arsenal, mas também o goleiro Claudio Bravo, no Barcelona e o atacante Eduardo Vargas, no Hoffenheim.

Jogando em casa
O maior vencedor da Copa América é o Uruguai (15 vezes), seguido por Argentina (14) e Brasil (8), mas nessa edição, o México não contará apenas com o talento dentro de campo para levantar o título.

Por conta da grande população de descendentes e imigrantes, os mexicanos contarão com o maciço apoio da torcida, e onde que que jogue estará jogando em casa.

O México está no Grupo C com o Uruguai, contra quem ele estreia no domingo (no Arizona), depois enfrenta a Jamaica (na Califórnia) e a Venezuela (no Texas).

O campeão da Copa Ouro CONCACAF não perde nos últimos 17 jogos. Desde que assumiu, o ex-técnico do São Paulo Juan Carlos Osorio ganhou 7 jogos seguidos, e acumula um placar de 16 a 3.

O time tem a segurança do zagueiro Hector Moreno e do meio-campista Andres Guardado, a dupla que fez uma ótima temporada na Holanda, sendo  fundamental para o título do PSV Eindhoven na Eredivisie, além da boa campanha na Liga dos Campeões, quando perdeu nas oitavas, nos pênaltis para o finalista Atlético.

Osório, que não contará com Giovanni dos Santos, do LA Galaxy, que pediu dispensa, aposta na boa fase do atacante Javier  Hernandez, que foi o 4º melhor artilheiro da Bundesliga, com 17 gols.

 

Caras novas na reta final do treinamento USMNT

Caras novas na reta final do treinamento USMNT

No total, Chicharito marcou 26 gols nos 43 jogos que fez em todas as competições pelo  Bayer Leverkusen na temporada 2015-16.

Sul
Maiores campeões do torneio, os uruguaios, de Óscar Tabárez, vêm liderados pelo “chuteira de ouro’ (artilheiro) da Europa Luis Suárez, e mais Edison Cavani (PSG), Diego Godín (Atlético Madrid), Ferando Muslera (Galatasaray) e Maxi Pereira (Porto).

Sem sua grande estrela, poupada para os Jogos Olímpicos, e sem Douglas Costa, talvez o brasileiro em melhor fase na Europa, ao lado de Roberto Firmino – que também não vem – Willian e Philippe Coutinho, o Brasil tem ainda um grandes elenco, é claro.

Craques nunca foram o problema no Brasil: pior que montar um time com estrelas de segunda linha, como Renato Augusto, Hulk e Jonas é chegar com um time que treinou pouco e jogou menos ainda.

Outros
As outras seleções mais fortes são os anfitriões Estados Unidos, de Jürgen Klinsmann, que aposta na experiência de Clint Dempsey, Michael Bradley e Jermaine Jones, misturada a jovens talentos que chegam à USMNT pela primeira vez, como Chrstian Pulisic, do Dortmund, Darlington Nagbe, do Portland, ou Bobby Wood, do Hamburgo.

O Equador, surpreendente co-líder da zona sul-americana de classificação para o Mundial de 2018, após seis rodadas, também chega com ambições, sob o comando de Gustavo Quinteros e com Enner Valencia como pricipal nome.

Andres Guardado marcou o gol da vitória contra o Paraguai no amistoso no último sábado

Andres Guardado marcou o gol da vitória contra o Paraguai no amistoso no último sábado

Por seu lado, a Colômbia tem James Rodríguez, Carlos Bacca e Juan Cuadrado, mas já não apresenta o ataque temível de outros eventos, face à ausência de Radamel Falcao, Teo Guttiérrez e Jackson Martínez.

Paraguai, Peru, Bolívia e Venezuela (América do Sul) e Costa Rica, Jamaica, além dos estreantes Haiti e Panamá (América do Norte, Central e Caribe) são os demais participantes na Copa América do Centenário, que será disputada em 10 estádios.

Na primeira fase, Estados Unidos, Colômbia, Costa Rica e Paraguai compõem o Grupo A, Brasil, Equador, Haiti e Peru o B, México, Uruguai, Jamaica e Venezuela o C e Argentina, Chile, Panamá e Bolívia o D.


Trolagem argentina pra cima do pré-candidato à presidência dos EUA
Comentários Comente

Celso de Miranda

Com o provocativo slogan “A melhor coisa que vocês podem fazer é não nos deixar entrar” a emissora de TV paga argentina especializada em esportes, TyC Sports lançou sua campanha para divulgar a participação da seleção de Lionel Messi, Sergio Aguero, Javier Pastore e Gonzalo Higuaín na Copa América Centenário, que será disputada nos Estados Unidos.

A propaganda tira onda do pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, o empresário Donald Trump:

“Nosso país está em sérios problemas”, diz o milionário nova-iorquino, num trecho de um famoso discurso em que ele se refere às diferentes propostas e iniciativas para impedir a entrada de imigrantes nos Estados Unidos, entre elas a de construir um muro na fronteira entre os dois países.

"Precisamos levantar uma parede"

“Precisamos levantar uma parede”

A TV argentina intercala imagens do discurso de Trump, com lances do time argentino para concluir: “A verdade, é que o melhor que vocês podem fazer é não nos deixar entrar”.

A Copa América Centenário que pela primeira vez acontece fora da América do Sul e contará com 6 seleções da Concacaf, além dos 10 da Conmebol, acontece entre os dias 3 e 26 de junho.

 


Aguero: “É um alívio ter Messi no time”
Comentários Comente

Celso de Miranda

O atacante Sergio Aguero não escondeu o alívio em poder contar com Lionel Messi de volta à seleção argentina para enfrentar o Chile nessa quinta-feira, nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, em Santiago.

Afastado por causa da lesão no joelho, que o tirou de boa parte da temporada passada, a estrela do Barcelona não jogou nas 4 primeiras partidas da Argentina nas Eliminatórias Sul-americanas.

A derrota para o Equador (0-2), empates contra Paraguai (0-0) e Brasil e a única vitória sobre a Colômbia. Resultado: com 5 pontos a Argentina é a 6ª colocada.

Aguero também esteve de fora dos dois últimos: o 1-1 com o Brasil em Fortaleza e a vitória de 1-0 sobre a Colômbia, em Baranquilla, na última rodada, com um gol de Lucas Biglia.

“É um alívio que Leo esteja com a gente”, disse o artilheiro do Manchester City no encontro com a Imprensa após o treino em Santiago.

“É sempre bom jogar com ele no time. E todos o consideramos um jogador crucial, dentro e fora do campo.”

Para Aguero, ter um jogador como Messi pode fazer a diferença, sobretudo em momentos como os atuais, quando a seleção argentina enfrenta dificuldades.

“Vivemos uma situação difícil, o torcedor na Argentina está acostumado a estar no topo e isso é cada vez mais difícil”, disse Aguero. “Porque há muitos países com elencos e equipes cada vez melhores.”

“É complicado, as competições são longas e muito equilibradas. Um jogador como Leo sempre pode decidir.”

Chile
O Chile tem 7 tem pontos em 4 jogos e está em 5º lugar na classificação. Mas o vencedor da última Copa América também vive dias turbulentos depois de ter perdido por 3-0 para o Uruguai em novembro.

O clima ruim resultou na saída do técnico Jorge Sampaoli em janeiro, após semanas de tensão com a Federação Chilena.

O ex-atacante Juan Antonio Pizzi assumiu e sua primeira convocação, com alguns nomes pouco conhecidos como o do atacante de 18 anos, Jeisson Vargas (Universidad Catolica) e o zagueiro Felipe Campos (Palestino), não foi unanimidade.

“Chamei os melhores pensando nos dois jogos pela frente”, disse nessa terça-feira. “Eu sei que há alguns que, entre aspas, não são lembrados pela mídia, mas meu único critério é a avaliação do que os jogadores fazem em campo e do que acreditamos que eles ainda podem fazer.”

Pizzi acredita que seu time tem um série de virtudes, mas que para chegar as vitórias será preciso também passar a entender e admitir seus defeitos para poder corrigi-los: “A derrota para o Uruguai foi um aviso nesse sentido”, afirmou.

Pizzi: novo técnico terá problemas na estreia

Pizzi: novo técnico terá problemas na estreia

O Chile não sofre uma derrota em casa em jogos oficiais desde que perdeu para a Argentina nas Eliminatórias da Copa do Mundo, em outubro de 2012.

Pizzi tem, ainda, algumas baixas importantes: Arturo Vidal e Jorge Valdivia estão suspensos.

O meia do Bayern poderá atuar na partida contra a Venezuela, na terça (29), mas o ex-palmeirense pegou 4 jogos por ter reclamado da arbitragem na partida contra o Uruguai.

Além disso, Eduardo Vargas, Charles Aránguiz e Marcelo Larrondo estão fora por contusões.

Amanhã, as duas seleções estão sobre pressão e entram em campo precisando vencer se quiserem ir à Copa do Mundo de 2018 na Rússia.

No último encontro, Chile e Argentina empataram em 0-0 – na final da Copa América: o Chile acabou vencendo na disputa por pênaltis por 4-1.


New Jersey receberá final da Copa América’2016
Comentários Comente

Celso de Miranda

O MetLife Stadium, em New Jersey será o local da final da Copa América de 2016, no dia 26 de junho: o torneio que marca o 100º aniversário de sua primeira edição, será realizado fora da América do Sul pela primeira vez e excepcionalmente terá 16 seleções (10 sul-americanas e 6 da América do Norte e Central).

Em 9 de junho de 2012, Brasil e Argentina que se preparavam para as Olimpíadas de Londres se enfrentaram no MetLife Stadium. a partida que teve 3 gols de Lionel Messi terminou com vitória dos argentinos por 4-3 e numa confusão entre Ezequiel Lavezzi e Marcelo, que acabaram expulsos.

Até hoje com 81.994 torcedores esse jogo teve o maior comparecimento para uma partida de futebol na história de Nova Jersey.

Brasil e Argentina: recorde de público em 2012

Brasil e Argentina: recorde de público em 2012

A CONCACAF, que organiza o torneio anunciou que estádio, que tem capacidade para 82 mil torcedores e sedia os jogos do NY Giants e NY Jets da NFL, receberá cobertura de grama natural sobre o atual gramado artificial.

A abertura do torneio acontece no dia 3 de junho e os jogos serão disputados em Chicago (Soldier Field),  Massachusetts (Gillete Stadium), Arizona (University of Phoenix Stadium), Houston (NRG Stadium), Orlando (Citrus Bowl), Califórnia (Rose Bowl e Levi’s Stadium), Filadélfia (Lincoln Financial Field) e Seattle (CenturyLink Field).


“Apague ou arranco sua cabeça”: Higuaín briga com torcedores
Comentários Comente

Celso de Miranda

“Apague o vídeo ou arranco sua cabeça”, diz o atacante argentino Ganzalo Higuaín a um torcedor.

A cena foi gravada na porta da boate Pacha, em Ibiza, onde o jogador do Nápoles passa suas férias, hoje mais cedo pelo próprio torcedor ameaçado, segundo informações do jornal El Mundo.

Vestido com uma camisa listrada, calças pretas e chapéu o jogador deixava a festa”Flower Power” acompanhado segundo testemunhas, do também jogador argentino Ezequiel Lavezzi (embora o jogador do PSG não apareça no vídeo).

Segundo o jornal, um grupo de jovens também argentinos pediu para tirar fotos ao lado de Higuaín, mas o jogador teria recusado, porém estendido a mão para cumprimentá-los. Um dos jovens porém não gostou da recusa do jogador e o provocou dizendo: “Vai, não marca nem uma pênalti.”

Foi aí que, segundo testemunhas a coisa começou a sair de controle: o  jogador do Nápoles, já com raiva confronta os jovens: “Você não me diga isso,” ele responde, e aparentemente já ameaça dar um soco em seu interlocutor, embora em nenhum momento chega a atacar nenhum dos jovens.

O grupo que está com o jogador passa a segurá-lo durante a escalada da tensão. E é aí que se ouve Higuaín dizendo: “Apague o vídeo!”. E depois com ainda mais enfase, “apague o vídeo ou eu vou arrancar sua cabeça”, ele ameaça.

No final nem Gonzalo Higuain, nem ninguém chegou às vias de fato: “O grupo que o acompanhava retirou o jogador, o embarcou pela porta de trás de uma van preta com vidros escuros e partiu”, informou El Tempo.

 


Fillol, 65: relembre a carreira de um dos maiores goleiros da história
Comentários Comente

Celso de Miranda

Ubaldo Fillol, um dos maiores goleiros da história do futebol argentino e mundial completa 65 anos nessa terça-feira.

Revelado pelo Quilmes, El Pato brilhou no Racing e no River Plate:  3º goleiro da seleção na Copa de 1974, seu melhor momento foi no Mundial de 1978, com a curiosa camisa número – os argentinos distribuíam as camisas por ordem alfabética – quando a Argentina levantou a Copa em casa.

Fillol também foi à Copa de 1982, na Espanha (quando jogou com o número 7).

Final de 1978: goleiro número 5

Argentina e Holanda na final da Copa de 1978: o 10 e Mário Kempes, o goleiro é o número 5

No Brasil, Fillol jogou pelo Flamengo entre 1984 e 85 e apesar do brilho, marcou seu nome no coração do torcedor do clube.
Grande pato!


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>